A Itália vai introduzir a partir de hoje, sexta-feira, um passe sanitário obrigatório para aceder a espaços fechados como bares e restaurantes, decidiu o Governo dirigido por Mario Draghi.

“O passe sanitário é um instrumento para permitir aos italianos continuarem as suas atividades com a garantia de não se encontrarem entre pessoas contagiadas”, explicou o primeiro-ministro, numa conferência de imprensa no Palácio Chigi, a sede do executivo em Roma, no final do conselho de ministros que aprovou a medida.

Além das salas de bares e restaurantes, o passe será exigido para entrar em piscinas, ginásios, museus, cinemas e teatros, bem como salões de jogos. Será igualmente exigido para os eventos desportivos, concertos, espetáculos, feiras e congressos, particularmente propícios a concentração de pessoas. As discotecas permanecem encerradas até novas ordens, mas o setor beneficiará de ajudas públicas.

O passe sanitário, batizado como “green pass”, poderá ser emitido após a primeira dose da vacina, mas também às pessoas com um teste negativo obtido nas 48 horas anteriores.

A adoção do passe sanitário foi alvo de tensões no interior da maioria governamental, com o líder da Liga (extrema-direita), Matteo Salvini, a pronunciar-se contra “escolhas drásticas, improvisadas e não calculadas que excluem a maioria dos italianos do seu direito ao trabalho e a circular livremente”.

A Itália tem atualmente alguns milhares de novos casos diários e poucas mortes, mas a tendência de fundo é de aumento. Ontem, foram registados 5.057 novos casos, quando o país não ultrapassava o limite dos 5.000 casos em 24 horas desde 21 de maio.

“A variante Delta é ameaçadora, pois propaga-se mais depressa que as outras variantes”, advertiu Draghi. “Exorto todos os italianos a vacinarem-se e a fazerem-no de imediato”, disse, congratulando-se, ao mesmo tempo, com o facto de “mais de metade dos italianos terem já concluído o ciclo de vacinação

FONTE: MULTNEWS.COM

A Autoridade Tributária de Moçambique fechou as portas das unidades de contribuição fiscal que se encontram na zona norte de Cabo Delgado e retirou todos funcionários devido aos ataques terroristas.

Uma nota do jornal "OPaís", refere que quase todas as fontes de colecta de receitas fiscais para os cofres do Estado, localizados no norte de Cabo Delgado, estão fechadas e todos funcionários da Autoridade Tributária de Moçambique das respectivas unidades de contribuição fiscal foram retirados para as zonas consideradas seguras.

Entretanto, apesar dos ataques terroristas, a província de Cabo Delgado conseguiu ultrapassar a meta na colecta de receitas fiscais para os cofres do Estado prevista para os primeiros seis meses deste ano.

A maior parte da receita fiscal em Cabo Delgado, provém da exploração de Rubis, uma das pedras mais preciosas do mundo, que são exploradas pela Montepuez Ruby Mining, uma das dez maiores empresas que continuam a assegurar os cofres do Estado ao nível da província

O ministro da Defesa de Israel advertiu esta quinta-feira que o seu país está preparado para atacar o Irão, na sequência do ataque com aviões não tripulados a um petroleiro propriedade de um israelita, que matou duas pessoas

O ataque, que não foi reivindicado, causou dois mortos, um britânico empregado pela empresa de segurança Ambrey e um membro da tripulação romena, segundo o armador Zodiac Maritime, uma empresa internacional com sede em Londres, propriedade do israelita Eyal Ofer.

Israel, assim como os Estados Unidos e o Reino Unido, acusaram imediatamente o Irão de estar por trás do ataque, mas nenhum apresentou provas para apoiar as suas afirmações. Teerão, que juntamente com milícias regionais aliadas tem realizado ataques semelhantes, negou ter estado

Pouco mais de 44 mil pessoas já fizeram o recenseamento militar nas primeiras três semanas do processo.

Este número representa uma redução quando comparado com igual período do ano passado.

Quase um mês depois do arranque do recenseamento militar em todo país, ainda são poucos os jovens que já aderiram ao processo.

Até agora, apenas 44 mil dos cerca de 170 mil mancebos previstos para este ano cumpriram com o seu dever cívico.

Segundo a Direcção Nacional de Recursos Humanos, as zonas norte e centro do país são as que registam menor afluência de cidadãos aos postos de recenseamento.

Ainda assim, as autoridades mostram-se confinantes em alcançar a meta até ao fim do processo.

Segundo a Directora Nacional de Recursos Humanos do Ministério da Defesa Nacional, Flora Chipanda, nos distritos que têm sido alvos de ataques em Cabo Delgado, o processo está a decorrer sem sobressaltos.

Sobre a falta de material de recenseamento militar em alguns postos, Flora Chipanda reconhece que pode ter havido atraso na sua alocação, mas assegurou que todos já tem equipamento disponível e o processo decorre normalmente

Baixe nosso aplicativo:

 
 

Nosso contato

Maputo-Matola
Matola, Maputo 1114
Moçambique
Mobile: +258849431453
www.radiovivaaorei.com

Nossa missão

  • Levar a Palavra de Deus ao seu coração